Bem vindos ao meu espaço

Após algum tempo a navegar neste mundo de blogosferas, dei por mim ai e ali a escrever o que se pensa aqui… resolvi então criar o "Coffee Break e 3 linhas de conversa", o lado mais dia-a-dia, o lado mais soft, talvez o lado mais “santo” de Santo&Pecador. Serve este blogue, como o próprio nome o diz, para fazer uma pausa e escrever 2 ou 3 linhas sobre aqueles pensamentos, ideias e momentos (bons, maus ou mesmo aqueles assim-assim) que nos surgem durante o dia ou da noite. Vou tentar assim com as vossas opiniões e com algumas, saudáveis, discussões que por aqui vão ficando, tentar enriquecer e melhorar o meu padrão de vida e algo mais…



Logo estão todos convidados para um Coffee Break e 3 linhas de conversa,

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Declaro Aberto o Blogue...


Até parece que é algo realmente importante…

Mas visto o blogue ser de minha autoria, tem a sua importância, pelo menos para mim.
È compreensível, penso eu… bem o que eu realmente desejo, é que de vez em quando, façam uma pausa para 2 ou 3 linhas de conversa, na tentativa de animar os meus e os vossos dias com os comentários e reflexões que vão ficando por aqui.


Bem-haja!

18 comentários:

Anónimo disse...

gÓSti!
:)

Santo&Pecador disse...

Anónimo,
costumo gostar de quem gosta de mim... por isso, arrisco dizer que também gosto de ti. :-)

Anónimo disse...

" A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade."
Carlos Drummond de Andrade

eu sabia...sempre gostei de gente que arrisca!
:-)

Santo&Pecador disse...

Anónimo,
...então arrisca! :-)

Anónimo disse...

há uma coisa, sem importância (digo eu),mas que aciona um mecanismo...chama-se alavanca!
Ignorante me confesso, não entendo nada de "mecânica"!...

;)

Santo&Pecador disse...

Sem dúvida... mas sabes o mais difícil não é puxar a alavanca para accionar o mecanismo. O mais difícil é saber onde está a alavanca.;-)

Tu sabes onde está?
Dá-me uma pista!
Senão perco-me nas coincidências e nas ilusões...

Anónimo disse...

mesmo sendo um Não Sei a minha resposta,"voltei" pelo respeito e consideração. Pelo menos, o suficiente para se responder - porque, do outro lado, está sempre alguém que, apenas por existir, merece a nossa atenção.
Para ti, um sorriso nos lábios porque, embora frágil, s(ou)erei forte!

Santo&Pecador disse...

Mesmo não sabendo, a resposta, certamente que está mais perto de ti do que de mim.
Fico grato por teres “voltado”, pelo respeito e porque desse lado, também, mereces a minha atenção.
Deixo-te, também, um sorriso nos lábios.
Deixaste-me a pensar se o “s(ou)erei forte” era a pista. Se era, fico a pensar porque motivo terás de ser forte. Por vezes essa forças, que fazemos, são contra nós. Pode não ser o caso, mas…

Anónimo disse...

deixaste-me a pensar...

Santo&Pecador disse...

Hum...deixei?

É sinal que as minhas palavras não foram em vão, fizeram-se sentir.

Mas continuo a dizer que a “alavanca” está mais perto de ti do que de mim e, também, continuo sem saber por que motivo terás de ser forte e, ainda, fiquei com a certeza que essa força é contra ti.

Porquê?
Porque ficaste a pensar.

E hoje aventuro-me a mandar-te...
...um beijo! ;-)

Anónimo disse...

Bang bang, you shot me down!...

não recuo perante a tua oferta e declino qualquer responsabilidade
no que respeita aos efeitos secundários
decorrentesde um abraço virtual...
este, pode provocar elevados niveis de ansiedade!
Recomenda-se a quem o recebe que esteja preparado para sucumbir a uma irresistível vontade de viver a Vida ao Máximo.

Deve usar-se, mas com moderação...
aceita o meu que quer queiras quer não, já cá está, mesmo antes de teres chegado.
:-)

Santo&Pecador disse...

;-)
Quando decidi mandar-te este meu beijo (teu) foi ciente dos efeitos secundários e cheio de vontade de os saborear, tal como a imaginação desse teu abraço virtual.

Tal como disseste, deixa níveis de ansiedade elevados... mas, não é só. Deixa, também, uma incontrolável expectativa de saber se alguma vez provarei o gosto desse abraço e se terei a oportunidade de te oferecer o meu beijo.

Quanto ao facto de estar preparado para sucumbir a uma irresistível vontade de viver a Vida ao Máximo, a minha resposta é que não sei viver de outra maneira. Já tive dissabores, desgostos, desamores, mas... também já tive paixões, amores e momentos únicos e inigualáveis. Tudo isto é viver a vida ao máximo.

Explica-me o que é que já ai está, antes de ter chegado.
O Beijo?

Diz-me, ainda não viste a “alavanca” para arriscares mais um pouco?

E agarrando no teu "Bang Bang" ao bom jeito de Bonnie & Clyde
me despeço, por hoje, com um

Kiss Kiss Bang Bang ;-)

Anónimo disse...

maravilhada por (já) saberes viver a vida ao máximo! :)

O que já aí estava antes de chegares era o meu abraço, enquanto tu te aventuravas a deixar um beijo, eu, "arrisquei" e desafiei-te a aceitar um abraço ;)

Alavanca?! Ahhh a alavanca...pois...não, não encontrei mas descobri que tenho um sistema de travões ABS :)

e pensar que tudo começou porque disse que gosto(ei) e ti. Acabei de constatar que não me enganei.

bjnho desenfreado

Santo&Pecador disse...

Eu não sei se sei viver a vida ao máximo, mas tento viver a vida ao máximo.
ABS!?
Sistema de travões para quando se gosta. Ora ai está algo que eu não compreendo e nem sei se alguma vez irei compreender. Desafio-te a explicares-me.
Acredito que não se deve gostar em queda livre, mas nunca a travar.
Mas isto sou eu, que para mim viver a vida ao máximo é sem travar, é guardando o passado numa gaveta, não perguntando pelo futuro e alimentando-me do presente.
Gostei do beijinho desenfreado, é sem ABS, fico à espera de o sentir... quiçá um dia.

Beijo meu (teu)!

Anónimo disse...

:D
quiçá.

Já alguma vez disse que gosto de ti?

beijo teu (meu)

Santo&Pecador disse...

Hum… já não sei, diz-me tu.
Mas agarrando neste conjunto de comentários, tudo começou com um teu “gÓSti!”
Onde no segundo me respondeste “… sempre gostei de gente que arrisca!” e palavras tuas, também, no teu ultimo comentário “...tudo começou porque disse que gosto(ei) e ti. Acabei de constatar que não me enganei.”

Também corro um risco de desacerto, como disse no meu 3º comentário “...perco-me nas coincidências e nas ilusões...”

Mas esquecendo tudo isto, que é simplesmente um trocadilho com as palavras ditas/escritas e esquecendo o facto de gostares ou não de mim, a minha maneira de pensar mantêm-se.
Certamente, gostaste, gostas ou irás gostar de alguém. E quando se gosta, tem de se gostar sem travões, porque só assim é que se gosta e se deixa gostar. Sem ABS, vivendo o agora ao máximo, porque o ontem já foi e o amanhã ainda não chegou.
Pois eu... gosto de ti!

Beijo meu (teu)!

Anónimo disse...

cinzenta
ruborizada
desapaixonada...
e a questionar-me quando foi a última vez que fiz alguma coisa pela primeira vez.

Numa fase dos para quês? (mil vezes pior que a adolescência, que não me lembro de ter tido...)

beijo teu (meu)

Santo&Pecador disse...

A ninguém se pede para se apaixonar numa primeira vez, nem acredito no amor à primeira vista (apesar de à cerca de um ano esta minha teoria ter abanado, mas isso é outra história...) o que se pede, ou melhor, o que penso que todos devemos fazer, é dar oportunidades…oportunidades a nós mesmos, de conhecer o que gostamos e de quem gostamos.
E para tu existe uma primeira vez, porque sem essa primeira vez não existe segunda, terceira ou ultima. Simplesmente não existe.
Para quê!?
Para saber, para perceber, para conhecer, para dar uma oportunidade ao outro, a ti.
Diz-me o que é que todos queremos, o que é que todos procuramos?
A felicidade, certo?
Ser feliz é estar rodeado de pessoas de quem gostamos e que gostam de nós, seja ele um sentimento de amizade ou de amor. Um sentimento que seja verdadeiro, sincero e honesto. Onde exista partilha e cumplicidade, seja numa gargalhada a dois, numa conversa, num simples toque, num olhar, a amar, etc...
Toda esta nossa troca de palavras, não foi nada mais do que uma apresentação, em que tu chegaste e disseste “Olá, eu sou a Stranger” e eu respondi “Olá, eu sou o Santo&Pecador.”
Trocamos uns sorrisos imaginários, dois ilusórios beijos e um abraço virtual.
Eu pensei “Gostei de falar com ela”, mas “gostava de a conhecer melhor”.
Agora cheguei e digo “Olá, eu sou Jorge” e tu?

Beijo meu (teu)!