Bem vindos ao meu espaço

Após algum tempo a navegar neste mundo de blogosferas, dei por mim ai e ali a escrever o que se pensa aqui… resolvi então criar o "Coffee Break e 3 linhas de conversa", o lado mais dia-a-dia, o lado mais soft, talvez o lado mais “santo” de Santo&Pecador. Serve este blogue, como o próprio nome o diz, para fazer uma pausa e escrever 2 ou 3 linhas sobre aqueles pensamentos, ideias e momentos (bons, maus ou mesmo aqueles assim-assim) que nos surgem durante o dia ou da noite. Vou tentar assim com as vossas opiniões e com algumas, saudáveis, discussões que por aqui vão ficando, tentar enriquecer e melhorar o meu padrão de vida e algo mais…



Logo estão todos convidados para um Coffee Break e 3 linhas de conversa,

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

O meu amor

Escrevi este texto há mais de um ano, se o escrevesse hoje, não mudava uma linha.


"Amor infinito" de Alfred Gockel


Amor, amizade, paixão… tantas e tantas vezes se confundem, tantas e tantas vezes se alteram. Tento perceber o que será cada uma delas, onde interagem uma com a outra, onde diferem uma da outra, os motivos que as levam a findar ou a começar.
Tento entender o que leva uma paixão passar para amor, ou o amor virar amizade.
Depois de ouvir um “Amo-te, mas já não estou apaixonada por ti”, dei comigo a pensar e a questionar a possibilidade de isso ser possível. Sinto que vivo numa interminável busca de explicações e a ausência de resposta inquieta-me e leva-me a medir, pesar, articular, desconstruir, reconstruir, decifrar, comprovar, reaprovar, e tal como na ciência as respostas surgem quando verdades pré-elaboradas são derrubadas. Verdades pré-elaboradas por todos nós que usamos como justificação para a falta de amor.
Todos me dizem que aquele amor platónico, que faz borboletas na barriga, que faz parar o mundo, aquele em que nos sentimos alegremente parvos, tende em acabar.
Mas esse “amor” não é amor. É paixão, é aquela fome desmedida de se estar e ter, aquele fogo interior que arde de desejo e loucura pelo outro, é toda aquela vontade inicial de todo o romance, que inevitavelmente, não direi que acaba, mas que resfria.
A paixão arrefece e fica uma grande amizade, misturada com alguma intimidade, nomeadamente o sexo, a que chamamos de amor.
Pois eu a esse amor chamo tédio. Amor é o que vem depois da paixão e antes do tédio.
O amor do fulano, do beltrano, as histórias de outrem, a viver dos outros, não é o meu amor.
O meu amor, o amor que eu acredito, aquele que eu busco, que já provei, é outro, é diferente, é observar um gesto teu, o mais banal que seja, e ficar simplesmente a adorar-te, só porque me sabe bem.
É ouvir o som da tua voz e encantar-me com a melodia da mesma, somente porque me sabe a música.
É colocar o corpo no teu lado da cama, para absorver o calor do teu corpo, perfumar-me com o odor abandonado na almofada por ti, depois de te levantares.
É sentir a maior felicidade do mundo quando uma atitude ou um gesto meu, fazem soltar um sorriso na tua cara.
É sentir uma dor insuportável por dentro, quando vejo uma lágrima a percorrer o teu rosto.
É sentir a necessidade de estar presente, não porque é a minha obrigação, mas sim porque naquele momento não me sinto mais feliz em qualquer outro lado do mundo, como perto de ti.
Este é o meu amor. Definido, caracterizado, particularizado, diferente que quaisquer outras experiências transactas ou vindouras, é único, é simples, é autêntico, é cruel, é amargo, é delicioso, é penoso, faz-me sorrir, é um flagelo, é conforto, é vício, é tempero, é sofrimento, é o ideal, é o meu, é o nosso… quando chegares!



"Ideal seria que todas as pessoas soubessem amar, o tanto que sabem fingir"

Bob Marley






Ben Harper - waiting on an angel

9 comentários:

MiM disse...

Reconheço cada ideia e cada vírgula.

1 beijo.

Santo&Pecador disse...

MiM,
é sempre bom, saber que não somos os únicos a pensar assim.

Beijo!

Anónimo disse...

sabes uma coisa?
é lindo o teu amor!...(e o anjo do B. Arper também)

Como diz o meu amigo Joaquim Pessoa no seu dia 75. publicado no livro Ano Comum:
"era uma vez tu"

:)*
:*
:))

Santo&Pecador disse...

Anónimo,
é lindo e irei encontra-lo, assim como o "anjo".

Esse teu amigo e eu temos pelo menos uma coisa em comum...somos da mesma terra. :-)

:*
:)*

Paula NoGuerra disse...

As sábias palavras do Bob Marley resumem TUDO!

Há que NUNCA deixar de acreditar no amor, e isso sim é importante!
Há que saber ver com OLHOS de VER!

Becitos doces amiguito xxxx

Paula NoGuerra disse...

Amigo,
depois do teu livro, falta aqui o MEU selo dos "ESBOÇOS DE QUEM SOU" postado aqui no teu blogue, pois o teu espaço é VERDADEIRAMENTE quem ÉS!

Parabens!!!!

PS: Vai lá roubá-lo!!!!
Becitos doces

Santo&Pecador disse...

Paula,
obrigado amiga. É bom ouvir isso de quem nos conhece pessoalmente e saber que realmente consigo exprimir o que sinto e sou, tanto no papel como ao vivo.
Vou já lá "roubar" o selo.

Beijo!

Impulsiva disse...

Você fez muita falta no blog Santo & Pecador, embora ainda escreva aqui. Entro lá e sinto a maior nostalgia, fico lembrando do dia em que o acessei pela primeira vez... tudo fica ainda mais dramático ao som daquela música belíssima, rs.
Não sei se terei coragem algum dia de me despedir do meu blog...

Saudades de você!

Beijos,
Kenia Araújo.

Santo&Pecador disse...

Impulsiva,
Olá amiga! Saudades de te ver por aqui o de te ver pelo teu canto, onde também tens escrito pouco.
O blog Santo&Pecador é um pedaço da minha história, tem alguns capítulos importantes da minha vida.Nomeadamente um passado que nunca foi e um futuro que nunca chegou a ser. Eu próprio gosto de lá ir de vez em quando e reler algumas coisas que escrevi e lembrar-me daqueles momentos, uns bons, outros maus, uns muito bons uns não direi muito maus, mas sim muito tristes. Mas aqui eu sou o mesmo, um pouco mais reservado, mas continuo a ser eu...o Santo&Pecador :-)

Beijo!