Bem vindos ao meu espaço

Após algum tempo a navegar neste mundo de blogosferas, dei por mim ai e ali a escrever o que se pensa aqui… resolvi então criar o "Coffee Break e 3 linhas de conversa", o lado mais dia-a-dia, o lado mais soft, talvez o lado mais “santo” de Santo&Pecador. Serve este blogue, como o próprio nome o diz, para fazer uma pausa e escrever 2 ou 3 linhas sobre aqueles pensamentos, ideias e momentos (bons, maus ou mesmo aqueles assim-assim) que nos surgem durante o dia ou da noite. Vou tentar assim com as vossas opiniões e com algumas, saudáveis, discussões que por aqui vão ficando, tentar enriquecer e melhorar o meu padrão de vida e algo mais…



Logo estão todos convidados para um Coffee Break e 3 linhas de conversa,

domingo, 29 de janeiro de 2012

Reler a vida

Por vezes, e num estado nostálgico, dou por mim a reler o que anteriormente escrevi. Poemas, dissertações, pensamentos, meditações ou pequenos textos que eram o reflexo do que sentia na altura. No percorrer das palavras antes escritas, algumas com alguns anos de distância, constato que já não me identifico com o mesmo estado de espírito da altura. Modifiquei algumas formas de pensar e tenho a certeza que se fosse hoje já as escreveria de maneira diferente. Fruto dos conflitos com a vida e das minhas vivências ao longo deste intervalo de anos. No entanto deparo-me com outras que leio e releio, e desde a primeira à última palavra não as consigo substituir por nenhuma outra. Continuo a identificar-me na íntegra com o que foi escrito e a sentir da mesma forma que senti no momento em que aquelas palavras, sentidas, ali foram despejadas. Permanece a mesma falta, a mesma carência, o mesmo sofrer, a mesma vontade, o mesmo acreditar, a mesma fé e o mesmo sonhar.
Os textos, que ao reler, já não lhes encontro o mesmo sentido e com os quais já não me identifico, são textos que retratam paixões, amores, desgostos, percas e outros momentos que careceram de ser escritos naquele momento e que agora já não existem. São um passado arrumado, páginas desfolhadas da minha história, etapas da vida que passaram e foram ultrapassadas, preteridas ou substituídas por outras novas.
Os que hoje leio, e ainda com os quais me identifico e sinto o que sentia no momento em que os escrevi são também, textos, sobre paixões, amores e desamores, sonhos, dúvidas e outros pensamentos que continuam presentes na minha vida. São sobre tudo aquilo que continua por encontrar ou até mesmo por largar…tudo o que continua inalterável.
Depois de observar este confronto de textos, os que considero desactualizados e os que continuam actualizados, percebo que a diferença não está nos textos mas sim no que mudou na minha vida ou não.


domingo, 22 de janeiro de 2012

Desistir ou perceber que não vale a pena...



Normalmente antes de cada decisão ou antes de qualquer atitude por mim tomada, tenho por hábito falar comigo, discutir comigo e escutar-me com muita atenção, para que nada seja decidido ao acaso.
Porque será que neste momento em que sei que não vale a pena seguir por aquele caminho eu sinto que estou a desistir de uma vida que poderia ter?

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

As tuas palavras...


... despertam em mim a vontade de sonhar.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Há discursos simplesmente espectaculares

Não deixa de ser irónico como um dos melhores oradores de sempre era a maior estrela do cinema mudo. Charlie Chaplin.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Casamento na passagem de ano (passas x desejos)


Os segundos gastam-se no aproximar da meia-noite, os noivos já são marido e mulher, as famílias satisfeitas aproveitam o reencontro, os amigos tingem de alegria a festa, deita-se o 2011 e espera-se pelo acordar do 2012.
Percorro com o olhar as mesas, na procura das passas, a fim de cumprir a tradição que se impõem na mudança do ano. Por cada mês do ano uma passa e por cada passa um desejo.
Numa das mesas, as vozes anunciam as últimas do ano velho e o iniciar de um ano novo. Estoirou o momento, saltaram as rolhas das garrafas de champanhe, felicitei os chegados e os que surgiram, subi para cima de uma cadeira e a cada passa pedi um desejo…

1.ª passa – ser feliz!

Que peço a seguir?

2.ª passa – ser feliz!

Outra vez!? Bem! Nunca é demais.

3.ª passa – ser feliz!

Que se lixe!

4.ª passa – ser feliz!

…!?!?

5.ª passa – ser feliz!

Não consigo pensar noutra coisa…

6.ª passa – ser feliz!

7.ª passa – ser feliz!

8.ª passa – ser feliz!

Se demorar muito tempo, pode não se realizar… será?

9.ª passa – ser feliz!

Será possível!?

10.ª passa – ser feliz!

Mas o que é que eu mais quero na vida? Pensa! Pensa!

11.ª passa – ser feliz!

Afinal de contas não é o que eu mais quero?


Ser feliz não é ter tudo o que se deseja?


Saúde?


Sem saúde não sou feliz.

Dinheiro?


Não preciso de muito, se não tiver o suficiente, também não sou feliz.


Felicidade aos que me rodeiam?


Se eles não estiverem felizes eu também não estou.


Amor?


Se não amar ou sentir-me amado, não sou feliz.

Por isso…


12.ª passa – que os noivos sejam muito felizes… e eu também!

Irra!


Ia-me esquecendo dos noivos…