Bem vindos ao meu espaço

Após algum tempo a navegar neste mundo de blogosferas, dei por mim ai e ali a escrever o que se pensa aqui… resolvi então criar o "Coffee Break e 3 linhas de conversa", o lado mais dia-a-dia, o lado mais soft, talvez o lado mais “santo” de Santo&Pecador. Serve este blogue, como o próprio nome o diz, para fazer uma pausa e escrever 2 ou 3 linhas sobre aqueles pensamentos, ideias e momentos (bons, maus ou mesmo aqueles assim-assim) que nos surgem durante o dia ou da noite. Vou tentar assim com as vossas opiniões e com algumas, saudáveis, discussões que por aqui vão ficando, tentar enriquecer e melhorar o meu padrão de vida e algo mais…



Logo estão todos convidados para um Coffee Break e 3 linhas de conversa,

domingo, 29 de abril de 2012

Dia Internacional da Dança



Dançar é como amar, aprende-se, é difícil, é único, é paixão, é sedutor, é lascivo, é êxtase, é revigorante, é delicioso, é inexplicável, é alegria e tristeza, é sofrimento e deslumbramento, e, nunca se sabe quando podemos falhar e até magoar o outro. Exige muita dedicação, muita partilha, muitas horas a dois e acima de tudo muita, mas muita cumplicidade.
Quando amamos alguém, não precisamos de palavras para o demonstrar, são as nossas acções o que mais diz ao outro que o amamos. Na dança a cúmplice união de dois corpos em movimento numa igual cumplicidade com a música, são as palavras de todo o sentir que essa mesma música transmite. O perfume que se desprende de dois corpos que flutuam na pista em absoluta sintonia, confiando-se nos braços, um do outro, é como o odor que se solta de dois corpos que se entregam e se descobrem, numa cama, todo o amor que nutrem um pelo outro. O prazer de ver dois corpos a dançar é, como escrevi há uns anos, “… acolherem-se um ao outro, transmitindo ápices de uma extraordinária fusão, de uma cumplicidade impenetrável, que só é possível com o germinar de um misto de combinações de puros sentimentos…


Deixo-vos aqui dois links que para mim são o exemplo de plena cumplicidade na dança.


e


para fugir ao Tango que é o que todos nós pensamos quando se fala em cumplicidade na dança.
Agarrando, novamente na minha analogia, dançar é como amar, não é na cama que sentimos os maiores e melhores momentos de cumplicidade. 

6 comentários:

S.o.l. disse...

São bonitas as tuas palavras, mas mais do que isso são certeiras, sentidas, verdadeiras...

Beijinho.

Anónimo disse...

o menino dança? :)

Santo&Pecador disse...

S.o.l.,
obrigado amiga, sei que tu as compreendes porque as reconheces em ti. Leio-te sempre sentida e verdadeira.

Beijo!

Santo&Pecador disse...

Anónimo,
com a menina, sempre!

:)

Beijo!

Anónimo disse...

pode ser esta? :)
beijo J.

http://www.youtube.com/watch?v=oT5z3rY0n_g

Santo&Pecador disse...

pode ser sim. :)

Beijo M.